CASE | ST. THERESE CATHOLIC ACADEMY

Liderando pelo exemplo:

Como a escola St. Theresa recorreu ao SAFR® para proteger melhor sua comunidade.

Localizada em Seattle, St. Theresa é uma das primeiras escolas do país a usar o software de reconhecimento facial SAFR para aumentar a segurança sem comprometer a privacidade.

Antes da implantação do SAFR, o prédio usava uma câmera na entrada principal com uma campainha. Fora do horário da manhã e da tarde, as portas permaneciam trancadas e os visitantes eram obrigados a usar um interfone para entrar.


Nome da Escola: St. Therese Catholic Academy

Local: Seattle/EUA

Fundação: 1927

Níveis: Pré-escolar à 8º série

Alunos: 165


Professores em Período Integral: 15

Relação de Aluno-Professor: 11 para 1

Início da Implantação do SAFR: Setembro de 2018

Taxa de Participação dos Pais: 52%

Casos de Uso: Segurança Escolar, Acesso Seguro

O Desafio

Uma das crenças fundamentais da St. Therese Catholic Academy é “Lideramos pelo exemplo”. Em 2018, a escola de Seattle deu um salto inovador na tecnologia de segurança, tornando-se uma das primeiras escolas nos Estados Unidos a usar o reconhecimento facial para aumentar a segurança em seu campus.

Com a segurança sendo uma preocupação cada vez mais séria para escolas públicas e privadas em todo o país, alunos, professores e pais exigem soluções criativas e pensadas para ajudar a melhorar a segurança escolar. No verão anterior ao ano letivo de 2018-2019, após repetidas tragédias escolares ocorrerem em todo o país, o diretor da St. Therese, Matt DeBoer, decidiu que era hora de tomar algumas medidas para proteger melhor seus alunos e funcionários. DeBoer procurou a RealNetworks por seu Reconhecimento Facial Seguro e Preciso (SAFR).

St. Therese é uma escola pequena com um orçamento modesto, por isso foi um acaso quando a RealNetworks anunciou seu grande compromisso com a segurança escolar, oferecendo o SAFR sem nenhum custo para todas as escolas de ensino fundamental e médio na América do Norte.

“O SAFR aumenta nossa conscientização, afastando dos professores em sala de aula a preocupação e os pensamentos com segurança e proteção, liberando-os para o ensino.” – Matt DeBoer, diretor da St. Therese Catholic Academy

Resultados

Construído Para Diversidade

Liderar pelo exemplo envolveu a escolha de uma solução de reconhecimento facial projetada para atender à diversidade – mais de 40% da equipe de St. Therese, e a grande maioria dos pais e responsáveis, se identificam como pessoas de diferentes etnias. Como muitos softwares de reconhecimento facial costumam ter um desempenho ruim para tons de pele não brancos, a comunidade escolar estava preocupada com o fato de o sistema não reconhecer com precisão todos os rostos.

DeBoer trabalhou com pais e funcionários para resolver essas preocupações e co-desenvolver uma estratégia. Ele aprendeu que a precisão quase perfeita do SAFR é aumentada pela intencionalidade do design – antes do lançamento da SAFR, os desenvolvedores do software treinaram o algoritmo para desconsiderar a etnia usando um conjunto de dados global massivo e altamente diversificado. DeBoer também aprendeu que o Instituto Nacional de Padrões e Tecnologia (NIST) divulgou resultados classificando o SAFR em quarto lugar entre mais de 100 algoritmos testados para obter precisão consistente em uma variedade de tons de pele. O SAFR demonstrou baixo viés e esforços para ajudar a erradicá-lo, dando à escola a garantia necessária para iniciar a implantação.

Os resultados do reconhecimento facial SAFR são tão bons que ajudaram a tornar a escola St. Therese em uma comunidade mais unida.

“O SAFR nos proporciona a oportunidade de usar a tecnologia para o bem. Isso aproxima a nossa comunidade “, disse DeBoer. “Aprendemos os nomes das pessoas registradas no sistema muito mais rápido, então isso nos ajudou a construir uma comunidade mais conectada. Chamar as pessoas pelo nome quando elas chegam sempre fortalece a comunidade.”

Maior Consciência Situacional

A chave para um campus mais seguro foi uma maior conscientização situacional em todos os pontos de entrada e saída e maior visibilidade nos corredores da escola para alertar os funcionários se pessoas não reconhecidas estiverem no prédio.

St. Therese equipou duas de suas cinco entradas com câmeras IP e convidou todos os funcionários e voluntários a se registrarem no sistema. O registro era opcional e o processo simples: tirar uma foto e digitar o nome em um computador. Os pais também foram convidados a participar a qualquer momento, usando um quiosque de autoatendimento para tirar uma foto e digitar o nome.

De acordo com DeBoer, o sistema fez com que a equipe e os alunos se sentissem mais seguros, permitindo que eles se concentrassem no que é mais importante: ensino e aprendizagem. “Ao incluir o SAFR no plano de segurança de St. Therese, nossa equipe agora pode dedicar mais tempo às necessidades dos alunos. Eles não precisam mais estar atentos ao monitoramento da campainha da porta durante o dia ”, disse ele.

“Se outras escolas estão se perguntando se o SAFR é fácil de usar, nós descobrimos que é simples e bastante intuitivo, sem a necessidade de habilidades avançadas. Uma vez que o equipamento está conectado e o programa está no lugar, o software realmente roda sozinho.” – Matt DeBoer, diretor da St. Therese Catholic Academy

Soluções Aplicadas

SAFR em ação

Além de conceder acesso a indivíduos aprovados e registrados, a escola pode registrar um pai ou mãe que não tem o direito de buscar um aluno ou um funcionário demitido recentemente, carregando uma foto e marcando a pessoa como uma preocupação. DeBoer lembrou como o SAFR identificou um dos pais sem direito de retirada no momento em que a pessoa chegou ao campus. O indivíduo não era uma ameaça, mas o sistema respondeu adequadamente, informando aos funcionários que a pessoa estava no campus.

DeBoer também trabalhou com a Polícia de Seattle quando lhe enviaram uma foto de um indivíduo que representava uma ameaça geral às escolas da área de Seattle para ser adicionada ao banco de dados do SAFR. Se essa pessoa aparecesse em qualquer lugar próximo às câmeras do campus, o SAFR reconheceria a ameaça e alertaria a equipe imediatamente.

“Felizmente, não tivemos que utilizar o SAFR para bloqueios ou outras emergências”, disse DeBoer, “mas ter essa capacidade pronta é como um sopro reconfortante de ar fresco uma vez que estamos cientes, seguros e podemos nos concentrar em aprender e ensinar”.

Configurando o SAFR para um Ajuste Personalizado

St. Therese personalizou o SAFR para atender às necessidades da escola:


Respostas de Segurança

  • Ativar um alarme
  • Enviar textos de grupo
  • Notificação policial
  • Fechamento de portas


Detecção de Liveness: Sorria para Abrir


Detecção de Idade

Priorizando a privacidade

Juntamente com a segurança geral da escola, o SAFR também tranquilizou as famílias de St. Therese em termos de privacidade. Com capacidade total de ativação/desativação de dados altamente criptografados, os pais desfrutam de tranquilidade ao saber que seus direitos individuais e os direitos de seus filhos têm a máxima prioridade. De fato, a RealNetworks fornece controle completo às escolas que usam a tecnologia:

  • Não são permitidas crianças no sistema SAFR. Os estudantes da escola St. Therese são sempre escoltados por adultos. O SAFR usa a detecção de idade para impedir que menores de 18 anos se registrem.

  • O sistema SAFR não é obrigatório. Qualquer pessoa que não queira usar o SAFR pode utilizar um crachá de identificação ou o interfone.

  • Todos os dados são de propriedade de St. Therese. Os funcionários da RealNetworks não têm acesso a nomes, rostos ou dados coletados (por exemplo, data e hora da entrada). As informações faciais são arquivadas e excluídas, de acordo com o modo como a equipe da escola gerencia e mantém todas as suas informações.

Confiras as Melhores Práticas de Implementação do SAFR.

“Nós apreciamos que o SAFR respeite a privacidade. A solução nos permite tornar nossa escola mais segura, além de proteger a privacidade de todos os alunos, pais e funcionários.” Matt DeBoer, diretor da St. Therese Catholic Academy

%d blogueiros gostam disto: