Varejo

O comércio varejista vem aumentando o investimento em sistemas de reconhecimento facial como forma de combater roubos, identificar suspeitos, garantir a segurança do seu entorno e resguardar a conclusão de suas vendas ou o recebimento de pagamentos parcelados, através do cruzamento da identidade dos seus clientes, por meio de fotos ou selfies, com bancos de dados faciais.

Além destas aplicações, os algoritmos do SAFR permitem monitorar a interação dos clientes com os pontos de venda, gerando mapas de calor, identificando pontos de alta densidade de pessoas ou de elevada execução de determinada atividade.

O SAFR permite ainda estudar clusters do público frequentador de centros comerciais, shoppings, lojas, etc., elevando o padrão de análise e monitoramento para limites antes inexplorados. Esse tipo de investigação do comportamento do consumidor, fornece insights para mudança de arquitetura das lojas, tráfego interno, maior permanência dentro do empreendimento, além de uma experiência mais abrangente com as marcas e produtos.